"E aqueles que pensam em Me procurar, saibam que a vossa busca e vosso anseio devem beneficiar-vos apenas se vós souberdes o Mistério; se o que vós procurardes, vós não achardes dentro de vós mesmos, então nunca encontrarão fora. Pois eu tenho estado convosco desde o Início e Eu Sou Aquela que é alcançada ao final do desejo"


segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

AS ANTIGAS SOCIEDADES MATRÍSTICAS


NA ERA DO CÁLICE...

Os princípios do cultivo de alimentos, bem como da tecnologia de construção, recipientes e vestuário, já eram todos conhecidos pelos povos do neolítico cultuadores da Deusa, assim como os usos cada vez mais sofisticados de recursos naturais tais como madeira, fibras, couro e, mais tarde, metais na manufatura. Da mesma forma, nossas mais importantes tecnologias não materiais, tais como a lei, o governo e a religião, remontam ao que, lançando mão do termo de Gimbutas, Europa antiga, podemos denominar a sociedade antiga. O mesmo ocorre com os conceitos correlatos de oração, magistratura e sacerdócio. A dança, o teatro ritual e a literatura oral e folclórica, bem como a arte, a arquitetura e o planejamento de cidades, também são oriundos da sociedade pré-dominadora. O comércio, realizado por terra e mar, é outro legado dessa era antiga, assim como a administração, a educação e até mesmo a previsão do futuro, pois a primeira identificação do poder oracular ou profético se faz com as sacerdotisas da Deusa.

A religião sustenta e perpetua a organização social que reflete. Em diversos textos religiosos antigos que permaneceram até hoje, é a Deusa — e não uma das deidades masculinas então dominantes — que se identifica como aquela que proporcionou ao povo as "dádivas da civilização". Os mitos que atribuem nossas principais invenções físicas e espirituais a uma deidade feminina podem assim refletir o fato de realmente terem sido inventadas por mulheres. Tal hipótese é praticamente inconcebível sob o paradigma predominante, pois retrata a mulher como dependente e secundária em relação ao homem, não só no sentido intelectual mas, de acordo com a Bíblia, tão menos desenvolvida espiritualmente que a culpa de nossa queda em desgraça é toda dela.

Contudo, nas sociedades que conceptualizavam o poder supremo do universo como uma Deusa, reverenciada como sábia e justa fonte de todas as nossas dádivas materiais e espirituais, as mulheres se inclinariam a internalizar uma auto-imagem bem diferente. Com modelo tão poderoso, elas tenderiam a considerar seu direito a ter participação ativa e assumir a liderança no desenvolvimento e uso das tecnologias materiais e espirituais. Elas se inclinariam a considerar-se competentes, independentes e quase certamente criativas e inventivas. De fato, há crescentes evidências da participação e liderança das mulheres no desenvolvimento e administração das tecnologias materiais e não-materiais sobre as quais foi mais tarde sobreposta uma ordem dominadora.


IN O CÁLICE E A ESPADA- Riane Eisler

3 comentários:

Hamanndah disse...

Hoje é dia de Oxum. Fale um pouco sobre este grande Orixá feminino.

Obrigada, bjs
Hamanndah

Priscila; dos tempos primitivos. disse...

Oi sou seguidora do seu Blog, há um despertar feminino quanto as suas raízes mitológicas, por eras as mulheres são subjulgadas por elas mesmas... com o resurgimento das crenças matriarcais vejo um grande numero de mulheres redescobrindo sua verdadeira essência. Esse é o verdadeiro feminismo.
Bjus

William Garibaldi disse...

Gaia Lil, vim lhe desejar um Feliz Natal e Feliz 2011!
E que nossa amizade e contato floresçam cada vez mais neste próximo ano!

Um beijo de luz-poesia!