"E aqueles que pensam em Me procurar, saibam que a vossa busca e vosso anseio devem beneficiar-vos apenas se vós souberdes o Mistério; se o que vós procurardes, vós não achardes dentro de vós mesmos, então nunca encontrarão fora. Pois eu tenho estado convosco desde o Início e Eu Sou Aquela que é alcançada ao final do desejo"


sexta-feira, 9 de julho de 2010

A DEUSA DA CURA E DA NATUREZA

AIRMID
DEUSA DAS PLANTAS MEDICINAIS


Airmid é a Deusa da Cura dos celtas. É filha de Daincecht, avô de Lugh, e possuía quatro irmãos: Miach, Cian, Cethe e Cu.
Lugh foi o guerreiro que tinha uma lança mágica que disparava fogo e rugia e libertou o rei Nuada e os Tuatha Dé Danann das mãos dos Formori, os demônios da noite que tinham um só olho. Nuada perdeu sua mão direita durante um combate e, para que pudesse continuar a ser rei, ele precisava estar inteiro, então, o médico Dianchecht construiu uma maravilhosa prótese de prata, o que rendeu a Nuada o apelido de "Mão de Prata".
A estória da Deusa Airmid inicia-se quando faz uma visita ao castelo do rei Nuada.
Conta-se que os portões do castelo do rei Nuada era guardado por um homem que não tinha um dos olhos e trazia escondido em sua capa um gato. Quando Airmid e seu irmão Miach, em visita ao castelo, apresentaram-se como curandeiros, o tal homem pediu-lhes para reconstituir o olho perdido. Os deuses médicos concordaram e transplantaram o olho do gato para o espaço do olho vazio do porteiro. Entretanto, não tinham como mudar as características do olho do animal. Sendo assim, a noite ele ficava aberto em busca de caça e durante o dia fechava-se exausto. Mas o porteiro ficou muito feliz por ter novamente os dois olhos.

A RIVALIDADE DE DIANCECHT E SEU FILHO MIACH

O Rei Nuada estava usando sua prótese de prata feita por Dianchecht. Então Miach oferece-se para criar uma nova mão de carne e sangue, usando seus poderes. Este último, não concordava com as práticas médicas de seu pai e utilizando-se de seus poderes mágico-médicos, após três dias e três noites reconstituiu a mão do rei que voltou a ficar inteiro de verdade. Tal feito causou ciúmes e inveja ao pai, que propôs testar os poderes do filho, arremessando uma espada de encontro a sua cabeça, cortando levemente a sua pele. O rapaz imediatamente curou o ferimento com suas habilidades mágicas. Diancecht então enfureceu-se mais e lançou a espada, agora com mais força, cortando a carne da cabeça até alcançar o osso. Novamente Miach curou-se com seus poderes mágicos. O pai alvejou-o uma terceira vez, mas foi somente no quarto arremesso que matou Miach.
Sem remorso, enterrou-o e 365 ervas, uma para cada dia do ano, nasceu de sua sepultura. Airmid, sua irmã, recolheu todas as ervas em seu manto e separou-as de acordo com suas propriedades. Mas Diancecht, ainda consumido pelo ódio, arrancou do manto de Airmid todas as ervas, misturando-as, para que nunca mais ninguém obtivesse delas algum conhecimento mágico.
Cada uma das ervas que Airmid havia colhido estavam associadas as diferentes partes do corpo humano. Uma erva para cada tendão e junção. Poderíamos portanto, construir um corpo só de ervas, a exemplo de Blodwedd, que era um ser vivo, e foi criada a partir de nove tipos de ervas.
Para os celtas, as plantas tinham espírito e sentimentos, igual a qualquer ser humano e eram mais importantes em um sentido biológico. Isto porque, as plantas podem existir sem nós, mas sem elas não haveria nenhuma possibilidade de vida animal. Para os celtas, a associação das plantas com o corpo era considerado um conhecimento essencial. Um texto médico medieval galês, dizia que o corpo humano está associado ao cosmo. Nossos olhos seriam as estrelas, o Sol corresponderia ao rosto, a respiração seria o vento, as pedras seriam os osso, a água seria o sangue e a terra seria a carne.
A Deusa Airmid também era guardiã das fontes sagradas e segundo uma lenda, foi ela que ajudou seu pai a criar a Fonte da Cura, Tiobraid Slane, enquanto os Tuatha de Dannan se preparavam para a segunda batalha de Mag Tuired. Recolhendo ervas da Irlanda e citando encantamentos para cada uma delas, colocou-as na fonte. Todos os guerreiros feridos que se banhavam na fonte, ficavam completamente restabelecidos.

FLORES MÁGICAS DA VÉSPERA DO SOLSTÍCIO DE VERÃO

Na França e a Inglaterra, países sob a influência dos druidas, a véspera do solstício de verão ainda é a época de colher certas plantas mágicas cuja virtude evanescente só pode ser assegurada por esta mística estação.
A véspera de São João era o grande dia para a coleta de ervas mágicas que proporcionavam meios de combater a febre e de curar muitas enfermidades e proteção contra feiticeiros e seus sortilégios. Mas, para alcançar os resultados, era preciso observar duas condições. Primeiro, era necessário estar jejuando no momento de colher as ervas; segundo, era necessário cortá-las antes do nascer do sol. Se tais condições não fossem respeitadas, as plantas perderiam suas virtudes especiais.
Diríamos então, que as flores, colhidas nesta época do ano, são dotadas da virtude de transferirem para a humanidade um pouco dos eflúvios da luz e do calor do sol, que lhes dá, por algum tempo, poderes acima dos normais para curar enfermidades e desmascarar e confundir todos os males que ameaçam a vida do homem.
Dia 27 de julho é, na Irlanda, o dia considerado favorável à colheita de ervas curativas. Homenageia-se também, Airmid, a Deusa da Cura e da Magia, guardiã da fonte sagrada da saúde. As pessoas vão em peregrinação para as fontes sagradas e oram em prol da cura, amarrando pedaços de suas roupas ou fitas coloridas nas árvores que circundam as fontes.
Neste dia, ore para a Deusa Airmid, pedindo que a ajude à livra-se de seus problemas de saúde.

JORNADA À AIRMID

Material:

Uma guirlanda de flores naturais
Fósforo e jornal para acender uma fogueira.

Procure um campo afastado onde haja árvores e flores selvagens.
Construa um círculo com pedras que achar no local e com gravetos que encontrar acenda uma fogueira.
Sentada aguarde o crepúsculo e as primeiras estrelas cintilarem para iniciar o ritual.
Quando chegar a hora, dance em torno do fogo, concentrando-se nas batidas de seu coração. Quando estiver bemn cansada, sente-se e observe o trepidar das labaredas da fogueira.
Chame mentalmente pela Deusa Airmid e diga que sua presença é bem-vinda.
Mentalize a imagem da Deusa e você sentirá as energias místicas da natureza.
Se você mantiver seus ouvidos fiéis ao som das batidas de seu coração e os olhos fixos no fogo, poderá vê-la dançar entre as árvores.
Coloque a guirlanda ao lado do fogo e diga:

"Esta guirlanda é meu presente para a Deusa Airmid".

Você deixará o presente neste local.
Visualize em seguida, um feixe de luz descendo do céu que transformará seu corpo em uma estrela ardente.
Sinta esta energia aquecê-la e medite mais alguns minutos.
Agradeça à Deusa sua agradável companhia e despeça-se.
Apague o fogo com terra e volte para casa.
Deixe uma caneta e um papel ao lado de sua cama, pois seus sonhos, esta noite, serão tocados pela magia da Deusa Airmid.
Não esqueça, na manhã seguinte, de anotar tudo o que sonhou.
Airmid é a Deusa que nos ajuda a encontrar um lugar sagrado no mundo e dentro de nós. É ela que nos mantêm enraizadas com a terra. Convide-a para uma visita quando se sentir desconectado dessa fonte natural.

CONECTANDO-SE COM A ENERGIA VEGETAL

Para sentir a energia das plantas, você necessita primeira compreendê-las Procura uma descrição mais detalhada da erva que escolheu, familiarize-se com ela.
Prefira uma plantinha que cresça em seu jardim, como um trevo por exemplo. Coloque a sua mão na terra em torno da raiz da planta e prenda-a, sem machucar. Feche os olhos e tente conectar-se com o ritmo de suas vibrações. Una-a a ela em completa simbiose. Some sua energia com a do trevo. Fique assim durante alguns minutos. Depois cheire sua plantinha e despeça-se dela.
Quando você se conecta com uma planta, ela vibra no mesmo ritmo que você e poderá instruí-lo(a) para que tipo de cura ela deve ser usada. Experimente!
Os poderes mágicos da Deusa Airmid podem ser encontrados no chá do nosso dia-a-dia.

Cores da deusa:
verde, ouro, marrom

por Rosane Volpatto

Dias especiais para a Deusa Airmid

27 de julho - Na Irlanda, este é um considerado muito favorável à colheita de ervas curativas. Homenageia-se Airmid, a Deusa da Cura e da Magia, Guardiã da fonte sagrada da saúde. As pessoas vão em peregrinação para as fontes sagradas e oram em prol de sua cura, amarrando pedaços de suas roupas ou fitas coloridas nas árvores que circundam as fontes.

3 de dezembro - Antiga comemoração de Airmid, a Deusa irlandesa da cura. Embora pouco conhecida, Airmid era uma famosa curandeira, utilizando ervas e pertencia aos Tuatha de Danaan, grupo de divindades pré-celtas. Ela surgia vestida com um manto coberto de ervas e protegia todos aqueles que as utilizavam em curas.
Celebrá-la neste dia afasta os males físicos e espirituais, e traz boas vibrações e saúde. Acenda uma vela verde e um incenso herbal. Feche os olhos e, sentindo o aroma do incenso, invoque a Deusa Airmid e peça-lhe que sua companhia esteja sempre com você.

fonte: Anuário da Grande Mãe - Mirella Faur

2 comentários:

Viviane Lopes disse...

Saudações!

Estou participando do prêmio Dados e estou indicando seu blog.

Faça uma visitinha na minha página e conheça.

Bênçãos plenas.

Viviane
http://wicca-ipatinga.blogspot.com

Trunfinhas disse...

" carateristica desagradavel
publicada por Gaia Lil às A Alta Sacerdotisa - Há 11 horas
** *MEU PROBLEMA É QUE EU DESTRUO MUITO ANTES DE CRIAR ALGUMA COISA*"


Acho que partilho do mesmo problema que tu... Destruir muitas coisas antes de as fazer, como dizia na janela do meu blog acerca do teu novo post que eu já não consegui ler, com muita pena minha!!

Sabes?? Não sei muito do que falava esse teu suposto post, mas caso ajude, e já agora por mera curiosidade, gostava que soubesses que leio o teu bog quase desde o inicio em que foi criado... Mas apenas decidi comentá-lo agora por recentemente ter tido a coragem para dar o salto dentro do mundo do Blogspot...

Um grande abraço sorridente e luminoso desta tua irmã***