"E aqueles que pensam em Me procurar, saibam que a vossa busca e vosso anseio devem beneficiar-vos apenas se vós souberdes o Mistério; se o que vós procurardes, vós não achardes dentro de vós mesmos, então nunca encontrarão fora. Pois eu tenho estado convosco desde o Início e Eu Sou Aquela que é alcançada ao final do desejo"


domingo, 15 de novembro de 2009

ÍSIS, A GRANDE MÃE



Ísis talvez seja a Deusa mais cultuada no mundo.Vista como a Grande Mãe, Deusa do Céu, da Terra e do Submundo, Senhora do Universo e Rainha da Noite, Ísis é a Senhora dos mistérios, da vida e da morte.

Essa grandiosa Deusa pode ser invocada para tudo, pois abrange todas as questões humanas e Divinas. Isto faz com que seja conhecida como a Deusa de Dez Mil Nomes, de tantos títulos que a ela são atribuídos.
Seu nome original era Aset, que significa espírito. Deusa egípcia, Ísis recebeu este nome pelos gregos depois que estes invadiram o Egito. Assim, Ísis tornou-se conhecida e cultuada na Ásia Menor e em grande parte da Europa.
Filha de Nut (Deusa do Céu) e de Geb (Deus da Terra), Ísis tinha como irmãos, Osíris, Nephtys e Seth. Ela se casou com Osíris, seu irmão, algo comum na nobreza egípcia e em outras culturas. O que reafirma, pelo menos para mim, o tabu do incesto como algo puramente cultural.

Uma das partes mais conhecidas da história de Ísis é a procura a seu marido Osíris. Originalmente tendo se afogado num acidente, posteriormente, o mito o levou a ser assassinado por seu irmão Seth. Osíris foi esquartejado em catorze pedaços que foram espalhados pelo mundo. Ísis profundamente entristecida saiu em busca de seu amado. Se transformou em andorinha - daí sua representação com asas - se difarçou de empregada, enfermeira, prostituta, até encontrar os pedaços de Osíris. Não conseguiu encontrar um, o falo. A Deusa, então, criou um falo de ouro e através da magia trouxe Osíris à vida e concebeu seu filho Hórus.

A imagem de Ísis com seu filho Osíris nos braços hoje em dia é muito forte, principalmente pela semelhança a imagem da Virgem Maria com o menino Jesus nos braços. Mas Ísis não tem apenas o aspecto de Mãe. Ela é a Grande Deusa, responsável por Tudo, inclusive por Sua concepção. Ísis é a Criadora, a Amante, a Amada, o Poder do Trono, A Divina Inventora, A Grande Feiticeira.



Um aspecto muito importante de Ísis, é o seu aspecto de curadora. Tendo também o título de Curandeira Divina, ela é invocada pelos enfermos e pelos que praticam a cura, tanto física quanto espiritual. Seus templos também eram fortes centros de cura.

Ísis possui vários símbolos. Muitas vezes aparece com o Ankh . O Ankh é uma cruz que simboliza a vida eterna. É portada por quase todos os Deuses egípcios. Não se tem certeza sobr suas origens. Uma versão nos diz que ele representa os órgão sexuais do homem e da mulher unidos. Outra versão nos diz que ele deriva de uma boneca africana da fertilidade que possuía uma cabeça grande e era um amuleto das mulheres que queriam engravidar.

Ísis também aparece com o disco solar e chifres de vaca (seu animal sagrado) em sua cabeça. Mas este símbolo também pode ser visto como as três fases da lua. O disco solar sendo a lua cheia, e os chifres sendo, um, a lua crescente em sua "metade", e o outro, a lua minguante em sua "metade". Isto deixa evidente que Ísis também é uma Deusa Tríplice.

Sua representação com asas geralmente é vista quando estão ressaltados seus aspectos de Curadora e de Deusa da Morte. É batendo Suas asas sobre Osíris que Ela o traz de volta à vida. A Deusa da Morte é também a Deusa da Vida, pois uma contém a outra. O ciclo é sempre o mesmo, vida, morte, renascimento. Aliás, Ísis se mostra também como Deusa Negra quando se veste de preto, sustentando o luto pelo desaparecimento do marido e sai a sua procura.

Como Deusa do Mar ela é a padroeira dos navegantes. Como Deusa da Magia e dos Mistérios ela é uma grande mestra na evolução espiritual.

Ísis é a deusa do amor, da divinação, dos partos, das artes. A dança do ventre é originária da dança sacerdotal executada pelas sacerdotizas da Deusa em seus templos. Mas sua origem não nasceu aí. Ela teve como nascente a Suméria e os ritos para Innana.

A Dança do Sete Véus, por exemplo, é referente aos sete chakras, às sete cores do arco-íris, e aos sete planetas. Cada chakra tem suas características positivas quando equlibrado. Quando desequilibrado ele assume qualidades negativas. A retirada dos véus simboliza o desbloqueio e a harmonia dos chakras. A correlação dos chakras com os planetas em termos de suas características positivas e negativas é muito interessante e precisa. Estes sete véus correspondem também aos sete portais, os quais a Deusa Innana atravessa quando vai ao submundo.

Ísis era uma mãe e uma deusa amorosa e tudo perdoava a seus seguidores. Ísis era anterior a toda a Criação, era paciente e sábia. Como a Abençoada Virgem Maria, tão conhecida atualmente no Ocidente e no Oriente, a rainha Ísis concebera seu divino filho por meios divinos. Do morto e castrado Osíris, ela extraiu por conta própria a semente viva. E muitas vezes foi retratada em pinturas ou esculturas com o divino filho, Hórus, sobre o joelho. Tinha o busto nu em total inocência para alimentar o jovem deus. E Osíris mandava no mundo dos mortos, seu falo perdido para sempre nas águas do Nilo, onde dele corria um fluxo interminável de sêmen, fertilizando os extraordinários campos do Egito todos os anos quando o rio transbordava. O deus era um homem perfeito, bronzeado e ao luar. Conhecia ofícios. Sabia ler a mente das pessoas. Osíris, o deus do sangue, julgava o malfeitor olhando dentro do coração do malfeitor. A seu lado a Deusa mulher murmurava que o deus faria seu julgamento e aplicaria o castigo e que o sangue mau agora seria purificado e renasceria em outra pessoa e que esse sangue não o prejudicaria.
Ísis sob a forma de serpente se ergue na fronte do rei para destruir os inimigos da Luz, e sob a forma da estrela Sótis anuncia e desencadeia as cheias do Nilo. Ísis era tida como deusa da harmonia e das festas, que auxiliava a arrecadar fundos para as mesmas.




A ISIS NEGRA

Isis Negra é o Caos. Até pouco tempo a ciência considerava o comportamento caótico uma anomalia negativa da ordem divina, onde a desordem deveria ser rejeitada e eliminada, isso dentro de uma existência estabelecida pela ordem.
O caos é a fonte de nossa existência é o princípio de tudo; a ordem pura é um conceito artificial e mortal e um excesso de ordem gera o caos, ambas estão interligadas, pois o excesso de uma gera a outra. A partir disso todos aqueles que buscam tanto o caos quanto a ordem, para que haja alguma funcionalidade, tem que ter em contanto com os ambos.
O grande potencial da Isis negra esta na capacidade de retornar ao mais puro sentido do caos para consertar os resultados do excesso de ordem. A Isis Negra é antiga e primitiva, preocupada com as necessidades e a sobrevivência primária, enquanto Isis Clara se preocupa com o engrandecimento e ressurreição. Uma precisa da outra, se alimenta da outra, mas Isis Negra é mais antiga. Ela torna possível para Isis Clara nascer dos ossos de Sua mãe negra.
Isis Negra é o calor das cavernas, a luz gerada pelas pedras e pela decomposição, o forte calos e a luz não natural da lava que flui como sangue do planeta. Ela é oceânica, vulcânica, grande e formidável. Suas marés são muito vastas para ser percebidas, distantes das marés horárias e diárias do sol e da lua, das quais a Isis Clara é em todos os Seus aspectos, senhora. Nenhuma sacerdotisa ou sacerdote existe sem o outro, nenhum atributo pertence há um ou a outro aspecto. Ligada a Terra, da qual Ela é parte e manifestação, uma sacerdotisa fortemente enraizada nas tradições da Isis Negra jamais deixará de perceber a necessidade e a praticidade, e poderá ser muito mais humana e gentil do que aquela sacerdotisa que se distanciou de suas raízes escuras e se lançou em vôos de espiritualidade que nutrem apenas a si mesma; assim como a que se distancia de seu lado estrelado tem dificuldade em receber o livre fluxo dos poderes da Deusa, quando isso requer a autorização de seu outro lado; ou permite o uso da energia primordial para fins aparentemente superficiais.
A Isis Negra e Clara estão ligadas. A Isis Clara pode ficar alta como um obelisco na luz do sol, reflete e emite luz; a Isis Negra á a rocha enraizada, escondida na terra, ela dá estabilidade e permanência às manifestações acima, é a sombra bem-vinda por trás da Isis Clara. Assim como o dia e a noite, o dormir e o despertar, ambas são necessárias.
Isis Negra é quem quebrará os costumes e tabus das convenções criando o estágio onde Isis Clara atrairá o amor e a alegria, agora como Afrodite, Hathor ou Sarasvati.
É a Isis negra, com Suas águas quentes e marés profundas e vagarosas que guará o filho/a do amor ao nascimento. E a mulher com dois seios amamentará essa criança e o futuro/a iniciado/a com a escuridão e a claridade, chamando a atenção, guiando, ensinando e refinando-o/a até que a criança seja capaz de encontras e manter seus próprios contatos interiores. Se ambas, a Claridade e a Escuridão, estiverem equilibradas, essa experiência não será violenta nem para a metáfora usada seja a do parto, os mesmos processos são igualmente verdadeiros para qualquer empenho. A Isis Negra será aquela que verá e se aproveitará de qualquer oportunidade, porque ela conhece a precariedade de todas as manifestações de vida e também os meios mais eficazes para melhorar as chances de sobrevivência. Isis Negra é o aspecto mais difícil, e ao mesmo tempo mais poderoso de Isis. As sacerdotisas que se dedicam intensamente a esse aspecto são geralmente amadas e odiadas com igual intensidade, de acordo com relatos do romance de Dion Fortune. Elas encantam os homens, pois combinam sexo e morte.
A Isis Negra combina aspectos da força pura da Isis Natureza. As sacerdotisas devotas a esse aspecto são alinhadas com o elemento fogo e seus atributos de rápidas mudanças e explosões vulcânicas, em vez dos lunares e aquosos tipos de mudanças encontrados em sacerdotisas de outros aspectos. Entretanto, se as mudanças, as alterações ou a recriação forem necessárias, ninguém está mais capacitada para conduzi-las do que uma sacerdotisa da Isis Negra.
As sacerdotisas do fogo deixam um rastro de cinzas por onde passam, porém antes de julgá-las severamente é sábio relembrar que existem certas plantas cujo ciclo de vida é tão peculiar que elas só podem germinar na terra carbonizada; outras ainda, precisam que a semente se queime para germinar. Nesses casos, as ações de uma sacerdotisa de Isis Negra podem ser purificadoras e renovadoras.
Para as pessoas que necessitam da liberação, o poder de Isis Negra pode ser a única oportunidade disponível para alcançar a liberdade ou a realização. As pessoas para quem as ações dos processos são mais suaves, provavelmente irão encontrar sua própria iniciação em caminhos mais lentos. Aquelas que precisam das ações das sacerdotisas negras podem nunca alcançar a liberdade de outra maneira e se afastam cada vez mais de suas naturezas verdadeiras.
O grande mistério, aqui, está no fato de que são os sacerdotes e sacerdotisas da Isis Negra quem se tornam os grandes sacerdotes e sacerdotisas da evoluída Isis Clara.

CORRESPONDÊNCIAS

CICLO SAZONAL: Inverno.

INVOQUE PARA: submundo, morte e renascimento, fertilidade espiritual físico e mental, cura, purificação e renovação, rompimento de costumes e tabus, início do amor, paciência, sexo, liberdade, realização.

CRISTAIS: pedras negras em geral, ônix, turmalina, obsidiana.

ERVAS: cipreste, hissopo, orquídeas, lótus, junípero, heliotropo, sândalo, eucalipto gardênia salgueiro, lírio.

PLANETA: Lua

DIREÇÃO: Norte






6 comentários:

Vimaria Oliveira disse...

Maravilhosa elucidação sobre a amada e querida grandiosa Deusa Isis, a quem busco com fome e sêde servir e conhecer! Á tempos sinto o seu chamado e procuro aqui e ali saber mais, para não errar, e estou só nesta busca...pois não conheço ninguém! Obrigado!

Bruxa Pryscilla disse...

Amei! Não tenho palavras pra expressar o q senti lendo... Gostaria muito de ter com quem estudar mais a respeito, sozinha vc fica restrita à sua própria interpretação, com mais pessoas enriquecemos nosso conhecimento!...

Bruxa Pryscilla disse...

Amei! Não tenho palavras pra expressar o q senti lendo... Gostaria muito de ter com quem estudar mais a respeito, sozinha vc fica restrita à sua própria interpretação, com mais pessoas enriquecemos nosso conhecimento!...

Teca disse...

Gostaria de saber se existe algum templo ou grupo que estuda sobre Ísis. Dentro do trabalho de um homem chamado Antônio Magalhães, ele fala sobre a geneticista responsável pela raça humana. No desenvolvimento do trabalho essa geneticista aparece como a Deusa Ísis do Egito e também como a Virgem Maria em um trabalho conjunto com Jesus.
Gostaria de saber mais sobre ela.
Meu email é ru_teca@yahoo.com.br

kaka lopes disse...

Adorei o texto, lindo lindo. Para aqueles que procuram a União com outros para estudar e ser sarcedotes e sacerdotisas, estou querendo criar um grupo para conversamos sobre. Quem tiver interesse é só chamar.

kaka lopes disse...

Estou querendo criar um grupo só para esse estudo, o que acha?