"E aqueles que pensam em Me procurar, saibam que a vossa busca e vosso anseio devem beneficiar-vos apenas se vós souberdes o Mistério; se o que vós procurardes, vós não achardes dentro de vós mesmos, então nunca encontrarão fora. Pois eu tenho estado convosco desde o Início e Eu Sou Aquela que é alcançada ao final do desejo"


quinta-feira, 11 de junho de 2009

OUTROS TIPOS DE ESPIRITUALIDADE...


Há muitas "seitas" diferentes dentro do paganismo tradicional. Embora cada um tenha diferentes rituais, deuses, focos, heranças e enfeites, todos têm princípios, estruturas e normas similares. Por exemplo, um princípio de um coven tradicional é o equilíbrio entre o Deus e a Deusa. A Deusa, a as mulheres que ela representa, são consideradas portadoras de aspectos "femininos", tais como fertilidade. Os homens e o Deus são associados a aspectos "masculinos", tais como a caça e o ciclo de morte/renascimento. Embora este estilo de culto realmente inclua e dê importância tanto aos homens quanto às mulheres, algumas feministas sentem que ele é uma perpetuação das - e pode levar à novos caminhos de continuísmo - regras patriarcais. Muitos covens tradicionais insistem na polaridade masculino/feminino no coven, e especialmente para o Grande Rito. Isto, é claro, exclui gays e lésbicas fisicamente, e possivelmente metafisicamente (em termos de energia). Outro paradoxo da Arte tradicional é que embora seja anti-autoritária, há alguns líderes e professores nomeados (a Alta Sacerdotisa e o Alto Sacerdote) em cada coven. Freqüentemente, para ser considerada uma bruxa "de verdade", a pessoa precisa achar um coven, fazer um pedido de iniciação, sujeitar-se a um período de espera e galgar os três graus de iniciação. Então, e só então, esta pessoa pode começar o seu próprio coven.


Estes e outros aspectos da Arte tradicional são rejeitados pelos grupos diânicos e Radical Faeries. Esta é uma fonte de disputa e desentendimento entre tradicionalistas e os ramos mais "radicais" de paganismo. Muitas mulheres e homens dos grupos tradicionais estão preocupados pela rejeição resoluta de princípios, estruturas e normas, assim como por afirmações tais quais "... que as mulheres são bruxas pelo direito do fato de serem mulheres..." (Adler, p.178). Bruxas diânicas também trazem a Arte ao público por misturarem política com religião. Nem sempre isto é aceitável para a Arte tradicional. As políticas separatistas de algumas feministas e covens gays também são ameaçadoras às bruxas e aos pagãos tradicionais. Mas estas diferenças externas são justamente isto: externas. As reais "ameaças" à bruxaria e ao neopaganismo convencionais são as revoluções no pensamento, idéias e simbolismo que estão tomando lugar em covens feministas e gays. Estes grupos estão redefinindo os conceitos de matriarcado, poder, diversão, crescimento, polaridade, Deusa, Deus, política, masculinidade, feminilidade e ritual. Essencialmente, o que eles estão mudando são os seus conceitos de gênero sexual e seus papéis. Ao achar novos caminhos de ver e utilizar o poder, o arquétipo e a polaridades destes grupos estão mudando radicalmente as suas ações, consciência e subconsciente. Estas são as pessoas que podem realmente revolucionar a nossa sociedade e os papéis dos gêneros sexuais nela.
ASSIM FIQUI MUITO INSPIRADA PELO TEXTO E LGO EM BREVE ESCREVEREI SOBRE AMOR E AMIZADE E CONTATO ESPIRITUAL ENTRE HOMOSSEXUAIS...MAIS ISSO É PRO FUTURO....

4 comentários:

Beto disse...

}:) embora exista alguns grupos e indivíduos que se dizem Pagãos/Bruxos/Wiccanos que se manifestem de forma preconceituosa, o Paganismo, a Bruxaria Moderna e a Wicca não tem preconceito, estes são as únicas religiões/práticas que incluem a homossexualidade. além do Dianismo que inclui grupos de lésbicas, existe o Minoanismo que inclui grupos de bichas.

Anônimo disse...

Você esta quase certo beto mais o termo " bicha" foi o que pegou.....continuar a usar a nomenclatura criada eplo patriarcado(nomenclatura para homens e mulheres)significa não mudar de ruma....é preciso rever alguns conceitos....

Gaia Lil

Beto disse...

}:( sim, correto. eu usei essa nomenclatura por hábito. alguma sujestão?

Anônimo disse...

Gay seria melhor...tá bom que tambem anda meio corrompido mais na falta de melhores nomes usamos este mesmo....


Gaia Lil