"E aqueles que pensam em Me procurar, saibam que a vossa busca e vosso anseio devem beneficiar-vos apenas se vós souberdes o Mistério; se o que vós procurardes, vós não achardes dentro de vós mesmos, então nunca encontrarão fora. Pois eu tenho estado convosco desde o Início e Eu Sou Aquela que é alcançada ao final do desejo"


sábado, 22 de maio de 2010

A DEUSA SEM VÉU


A ACEITAÇÃO CONSCIENTE OU INCONSCIENTE DA DIVISÃO INTERIOR DA MULHER E DO TEMOR ANTE O MISTÉRIO E REVELAÇÃO DA DEUSA:

Resultado: ainda são numerosos aqueles a quem o desejo selvagem, o prazer, o instinto da mulher arquetípica, embaraçam consideravelmente. Eles contestam a legitimidade da Deusa das Origens, e fazendo-o, negam completamente o papel da mulher no mundo. (Joelle de Gravellain)


DESCER AO FUNDO DE SI MESMA E AGITAR A FORÇA DO VENTRE:

"Em tempos antigos deis de Creta ao Egipto e em muitos outros lugares, sacerdotisas ofereciam suas almas a Deusa e as Forças da Vida encarnando-As através da sagrada dança do ventre.Nas danças sagradas dedicadas a várias formas e faces da Deusa Mãe (Ísis, Isthar, Inanna, Aserá, Astarte, Diana, Ártemis, Deméter e muitas outras...) a sacerdotisa tirava véu por véu e em êxtase ritual quando por fim o ultimo véu branco ( a Lua) era retirado revelando o Poder Criativo da Deusa e da Mulher"

O serviço e o culto à Deusa Terra e à Natureza Mãe é essêncial para uma reconciliação da mulher consigo mesma. Durante séculos o Patriarcado e a sociedade machista e narcisista pregou (através dos padres e outros sacerdotes e representantes da Patriz de Controle e das próprias mulheres !) uma alcunha de infidelidade e inimizade entre as mulheres que começa deis do Mito da Génese aonde a Mulher e a Serpente ( que é sagrada ao culto da Deusa Mãe) se tornam inimigas e a única mulher feita com igualdade ao homem (Lilith) é considerada demoníaca para que indignadas e e separadas as mulheres não pudessem afirmar e manifestar sua voz no mundo. Assim também como os sacerdotes da Deusa nas invasões patriarcais foram mortos ou renderam se como servidores ou escravos dos chefes das tribos patriarcais ( kurgos, aqueus e outros...) que trousseram seus deuses da Guerra e da destruição.

Tudo isso culminou no repudio e na escravização das mulheres, na proibição imposta do culto da Terra Mãe que finalmente resultou na Divisão Interior da Mulher nos arquétipos da Santa ( uma mulher virgem fisicamente e desprovida de auto-afirmação, que encabeça um conceito patriarcal de espiritualidade) e a Prostituta ( uma mulher desafiadora mas desprovida de espiritualidade e cheia de malícia e luxúria segundo os sacerdotes das religiões patriarcais) é uma das mais violentas crises que foram impostas como um desafio ao Princípio Feminino.
Só quando a mulher mais uma vez Encarnar os dons da Grande Deusa e louvar as Forças da Vida e da Morte (sexo, o desejo, o carinho, o amor e a compaixão) ela poderá reconectar-se as Forças divinas da Deusa: sua sabedoria oracular e profética, sua inspiração mística, sua força e sua vontade de manifestar a Luz e a Escuridão com sabedoria no mundo.
Só quando a mulher descer mais fundo dentro de si mesma, nas águas profundas da Grande Deusa, só quando Ela mais uma vez se tornar a Virgem da Terra ( não no sentido físico mas espiritual), a Filha que desce ao Mundo Subterrâneo para se encontrar com a Terra Mãe, a Mãe Divina e assim assumir seus poderes de Rainha e Sacerdotisa no Mundo, assim se livrando, num sentido espiritual e psicológico do paradigma das "filhas do pai" (servidoras, esposas ou mulheres que chefiam sob tutela patriarcal e mentalidade narcisista) e mesmo as mais feministas ainda presas no paradigma e na maldição da santa e da prostituta que deviam unindo em si mesmas a sua sexualidade e sua espiritualidade, sua afirmação pessoal como Mulher assumir enfim seus poderes como sacerdotisas da Deusa ( aquelas que usam sua sabedoria nata e seu potêncial total), tornando-se novamente Mulheres livres que servem a Mãe da Vida e levam Sua sabedoria e inspiração ao mundo, nutridas pelo Seu poder, pela Sua compaixão e ao lado dos homens que são seus filhos e amantes na mesma concepção antiga do culto da Mãe e do Filho Divino.. Sabendo sempre que nós estamos preparando A VOLTA DO MUNDO AO SEIO DA DEUSA, pois :

No começo era a Grande Deusa e a Grande Deusa era a Terra e a Terra era a Grande Deusa. Lilith – (ESCRITO NUM - relevo sumério.)

"
Ela, a Grande Deusa, não pode ser morta, pois é imortal; pode decidir retirar se por algum tempo, mas Ela é e será para sempre"(O Incendio de Tróia - Marion Zimmer Bradley )

"O encontro com a Mãe Divina é uma etapa essencial para a nossa consciência, totalmente incompreensível para o intelecto. Porque a Grande Mãe é o Todo. Ela é o próprio Corpo da criação, Ela sustem o universo, a sua Essência está em todo lado. E a sua Essência é Amor puro. Ela é a Matriz última, da qual somos todos filhos.
(…)

Ela levanta para nós o véu da Ilusão, e convida-nos a vê-La em tudo. Ela reina sobre todas as manifestações do elemento água, quer sejam físicas ou mais subtis.”

( Marie Elia - Rencontres Avec la Splendeur)

Gaia Lil
(imagem "uma deusa" - Lena Gal)


3 comentários:

SolBarreto disse...

Ola,
Sigo seu Blog ja a algum tempo...não sou de comentar seus textos, mas estou lendo sempre e por isso deixei um selinho pra você!
(http://palavraspelocaminho.blogspot.com/2010/05/frase.html)

Beto disse...

olá, Gaia Lil.
eu estou lendo um livro que, certamente, deverá agradar à vossa santidade: "O cálice e a espada" de Riane Eisler.
ainda está valendo o convite para um ritual a três com a Nana Odara, ok?

Gaia Lil disse...

SOLBARRETO:

Eu agradeço o carinho e o selinho, pretendo fazer uma página dentro do Blogue Alta Sacerdotisa apenas para os selos que recebo e se eu conseguir, o seu estará lá.

BETO:

Eu já tenho o livro a muito tempo...Sou mais rápida do que você pensa.rs
O rito ainda tem que ser confirmado...

Abraços e bênçãos da Terra Mãe à todos,
Gaia Lil