"E aqueles que pensam em Me procurar, saibam que a vossa busca e vosso anseio devem beneficiar-vos apenas se vós souberdes o Mistério; se o que vós procurardes, vós não achardes dentro de vós mesmos, então nunca encontrarão fora. Pois eu tenho estado convosco desde o Início e Eu Sou Aquela que é alcançada ao final do desejo"


sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

AS MULHERES PRECISAM DA DEUSA


AS MULHERES E A DEUSA

Na busca da Deusa as mulheres encontram a si mesmas. Conhecendo as antigas tradições matrifocais elas despertam o arquétipo da Grande Mãe guardado no inconsciente.

Durante milênios a Grande Mãe e suas manifestações arquétipicas como deusas ocuparam em várias culturas o centro da vida humana. Suas representações honravam e celebravam a fertilidade, a dança da vida e da morte, os ciclos da lua, as energias e os seres da natureza.

Por que as mulheres precisam da Deusa:

1. Sentem-se desnutridas espiritualmente, tendo sido alimentadas nos últimos 4000 anos somente por imagens e valores do divino masculino.

2. Precisam de imagens que reconheçam e honrem a complexidade, riqueza, beleza, poder gerador e nutridor da sagrada energia feminina, a conexão com os ciclos da lua, as energias da terra, e que celebrem os laços de sangue que ligam entre si todas as mulheres.

3. Além das imagens, necessitam também de mitos, histórias, relatos, estudos e experiências que afirmem qualidades femininas de coragem, força, criatividade, visão, paixão, cura, sabedoria, parceria, reavaliando e corrigindo a história antes escrita apenas por homens.

Mirella Faur

http://www.teiadethea.org/?q=node/102


AMARGI


Esses são apenas alguns dos motivos pelos quais as mulheres precisam resgatar o Feminino Sagrado, não apenas para devolver lhes a alma (esta que foi sufocada e oprimida pelo patriarcado) como também reconhecer suas outras polaridades e forças que vão para muito além da santa e da prostituta, ou da mulher casada e da solteira...Reconhecer a força da Grande Mãe existente no seu corpo, seu poder não apenas de gerar a vida mas como de abençoar com a morte , que no fim é apenas um novo começo e um salto para uma nova existência e revelação. A Deusa volta com sua força total não apenas como uma Mãe bondosa mas também como Senhora do Caos e das águas, a Mãe Serpente telúrica, que como a Terra estéril e seca guarda em seu interior os segredos de deis de antes do inicio dos Tempos.
Como disse uma sacerdotisa uma vez, aquela que nunca nasceu nunca poderá morrer , voltando sempre e sempre com a sua mensagem de esperança e renovação, com sua mensagem de aceitação da vida corpórea e da Alma da Mulher Terra, a Grande Mãe que vive deis do mais profundo magma no centro da Terra, como na mais longincoa parte do cosmos, sendo Éter e Matéria ao mesmo tempo, em todo lugar Criadora e Criatura ao mesmo tempo.
Urge o resgate daquela antiga mulher que em Creta deis dos tempos antigos levanta o labrys (machado-duplo ritual da Deusa Mãe em forma de borboleta) acima da cabeça em direção ao altar em gesto de bênção, urge a volta daquele homem, o filho da Deusa Terra, seu consorte e amante, filho da Deusa da Criação.Urge a volto desse homem pacifico que adorava a Terra junto com a mulher nos tempos antigos.
Urge em fim uma nova consciência da Divindade Primordial, que ao invés de ser um pai distante e transcendente lá no céu, seja uma Mãe que impregna toda a Criação.
Urge a liberdade para amar o ser amado independente de seu corpo.

Gaia Lil
Nota:
Amargi possui duplo significado em sumérico "liberdade", e "retorno a Mãe"...

Um comentário:

Luiza Frazão disse...

Carol Christ, teóloga feminista americana, escreveu nos anos 70 o famoso ensaio "Por que é que as mulheres precisam da Deusa" que está na origem desta síntese feita por Mirella Faur. Numa tradução para língua portuguesa de Luiza Frazão, pode ler aqui na íntegra o famoso trabalho de Carol Christ que mais mulheres trouxe para o Movimento da Deusa: http://mulheresprecisamdadeusa.blogspot.co.uk/